OS 100 ANOS DE JAÚ

Em agosto de 1953 Jaú completou seu primeiro século de existência. Na época era prefeito o doutor Luiz Liarte e a cidade viveu dias de comemorações inesquecíveis para os que tiveram a sorte de presencia-las. O livro “Vultos e Fatos da cidade de Jaú”, editado na época, fez um relato de todos esses acontecimentos e um deles foi memorável: a apresentação da então famosa Banda dos Fuzileiros Navais, que teve lugar no dia 15 de setembro daquele ano. E o supracitado compêndio narra essa festa da seguinte forma:

                                      “,,, após entendimentos bem-sucedidos no Rio de Janeiro – que era então a capital do Brasil –conduzidos pelo senhor José Ferreira do Amaral, Jaú acolheu no dia 15 de setembro a famosa Banda dos Fuzileiros Navais que foi recebida na estação local por numeroso público. A grande corporação desfilou pelas ruas centrais, despertando a admiração geral pelo seu garbo e desde a sua chegada, no trem das 12,47 horas, até a sua partida, no dia seguinte, esteve sempre cercada da mais carinhosa assistência dos jauenses. A grande apresentação aconteceu à noite, no Largo da Matriz...” – notem que desde aquele tempo, ou seja, a sessenta e seis anos, o local já possuía essa denominação, não sendo correta a sua alteração.

 

                                      Após o grandioso concerto ao ar livre, a corporação compareceu ao ato da proclamação de Neusa Mazza Piccino como rainha do centenário, bem como de suas princesas. Registra também o já aludido livro que: “... os dirigentes do famoso conjunto instrumental declararam ao Correio da Noroeste, que levavam de Jaú e de seu povo uma sensível lembrança e uma indelével impressão...”. Outro acontecimento importante no quesito musical foi a apresentação da também famosa Orquestra Tabajara, responsável pela cadência musical do grande baile da coroação. Mencionado grupo musical. O registro da época conta que após a oficialização de sua majestade, lá estava no estrado o famoso conjunto carioca, famoso e conhecido em toda a América do Sul.

                                      A renomada orquestra e o seu maestro, Severino Araújo veio para Jaú em um avião especial da Panair do Brasil e, na mesma oportunidade vieram os então famosos radialistas Teófilo de Vasconcelos, Aristides Cerqueira Leite, bem como o conhecido jornalista David Nasser, bem como o comandante Aristeu Cerqueira Leite. O grande baile de gala foi descrito como um grande acontecimento social que lotou os salões do Aeroclube, brilhantemente ornamentado para a ocasião. Quando os clarins soaram anunciando a entrada de Sua Majestade a Rainha do Centenário. Quando ela apareceu na porta foi uma apoteose de aclamações e aplausos, saudando aquela que reinaria por anos. Já no palco, o prefeito Luiz Liarte lhe colocou na cabeça a mesma coroa que o senhor Ricardo Bagaiolo lhe entregara no dia da aclamação, nos salões do Grêmio Paulista.

                                      Esses e outros festejos marcaram brilhantemente as festas comemorativas aos “100 anos de Jaú...”.

P. Preto é jornalista.

p.preto@hotmail.com