OS 100 ANOS DE JAÚ – PARTE 2

No início deste comemorativo ao aniversário da cidade. Cujos 166 anos de existência acontecem precisamente no dia de hoje, apenas um registro no início desta narrativa: o prazer de ter um leitor residente em Umuarama, no estado do Paraná. Trata-se de Décio Martins Neto, descendente direto da família Hilst. O avô possuía – para quem se lembra – aquela bela chácara situada na rua Tenente Navarro, bem defronte ao Colégio São Norberto, ou Colégio dos Padres, como preferirem. Tratava-se de Eduardo Hilst Martins. O avô paterno era Décio Martins e oi avô materno José Grossi.

                                      Pois bem, feito o registro voltemos à narrativa, cujos detalhes foram obtidos junto ao livro “Vultos e Fatos da cidade de Jaú”, editado por ocasião do centenário, hoje uma obra obrigatória para os possíveis pesquisadores e historiadores. Ele conta que “O Grêmio Paulista deu a rainha do centenário e narra o seguinte: na apuração final do concurso para escolha da rainha do centenário, que empolgou a cidade, Neuza Mazza Piccino conquistou a coroa com 154.608 votos – esses votos eram vendidos pela cidade – em seguida Waldete Carboni, a segunda colocada, que obteve 55.460 votos...”

                                      O livro mencionado prossegue contando que o carro alegórico, de magnífica concepção, que conduziu Sua Majestade pelas ruas da cidade, foi elaborado pelo senhor Francisco Canhos, cuja intensa participação nos festejos comemorativos ao centenário lhe valeram diversas homenagens. Canhos desempenhou diversos trabalhos brilhantes ao longo dos anos, principalmente na elaboração de carros especialmente dedicados aos festejos de carnaval. Uma curiosidade a respeito da rainha do centenário. Ela foi convidada a desfilar no ano seguinte, em 1954, no dia 25 de janeiro, pela Avenida São João, em São Paulo, por ocasião dos festejos comemorativos ao quarto centenário daquela cidade, perante centenas de pessoas que se acotovelavam pela via.

                                      Sua Excelência Neusa Mazza – de saudosa memória – com o mesmo famoso carro alegórico, foi desfilar também em Bauru no dia primeiro de maio de 1964, por ocasião dos festejos comemorativos ao Dia do Operário. Ainda segunda citada obra, os preparativos para a coroação demandaram algumas semanas para a preparação. Como ela foi candidata indicada pelo Grêmio Paulista, logo após sua eleição, o clube elaborou intensas festividades, começando por um grande e concorrido sarau dançante, ocasião em que o clube recebeu não apenas os seus associados, como os membros representativos da sociedade. Na ocasião, a rainha do centenário recebeu a coroa das mãos do senhor Ricardo Bagaiolo, membro ativo da cidade e presidente honorário do clube.

                                      Os festejos comemorativos ao primeiro século da cidade marcaram época, notadamente o famoso e sempre lembrado Parque do Centenário. São histórias dos “100 anos de Jaú...”

P. Preto é jornalista.

p.preto@hotmail.com