Centro de Formação do XV oferece oportunidade para futebol feminino

Vitória tem 15 anos e é a primeira aluna da escolinha; ela quer ser jogadora profissional

Por José Luiz H. Galazzini 04/05/2018 - 10:17

O Brasil é o país do futebol’. Esta frase costuma ser proferida quando se refere ao Brasil no esporte Bretão. Mas, na verdade, o Brasil é o país do futebol MASCULINO. “A realidade do futebol feminino é muito difícil. A menina que deseja jogar futebol no Brasil tem pouco incentivo”, comenta Celinho, professor do Centro de Formação do XV de Jaú.

No cenário paulista, por exemplo, 92 equipes masculinas disputaram e disputam campeonato profissional em 2018 (considerando A1, A2, A3 e B). Já no futebol feminino são apenas 13 equipes disputando campeonato profissional, que está em andamento. Poucos clubes possui departamento de futebol feminino profissionalizado.

PIONEIRA NO XV
Vitória tem 15 anos e está treinando no Centro de Formação do XV de Jaú há cerca de um mês. Atualmente, é a única menina da turma. “Não é o cenário ideal, mas ela precisa ter coragem e se desafiar a estar em um ambiente masculino. Precisa estar em constante superação”, fala Celinho.

 

Vitória é a primeira aluna do Centro de Formação do XV de Jaú. FOTO: Tiago Pavini/XV de Jaú.

 
Ela gosta de futebol desde pequena. Mas foi com 8 anos de idade que o interesse aumentou. “Ganhei uma Jabulani de um primo”, lembra Vitória, se referindo à bola oficial da Copa do Mundo de 2010. Ela começou a disputar campeonatos na escola, e ganhou várias medalhas.
A família da Vitória sempre está ao lado dela. Dizem que, se é algo que gosta, deve seguir em frente. “O meu objetivo é ser jogadora mesmo. Quero ir para a Ferroviária, onde tem o time feminino”, fala.

 

O professor Celinho orienta a aluna durante os treinos. FOTO: Tiago Pavini/XV de Jaú.

SELEÇÃO FEMININA
O professor Celinho conversa regularmente com Doriva Bueno, ex-técnico do XV de Jaú e atual técnico da Seleção Brasileira Feminina sub20. Para Celinho, a iniciativa do clube é fundamental para o desenvolvimento do futebol feminino. “Claro que só o tempo irá dizer a que nível a atleta irá chegar. Mas oferecer a oportunidade de desenvolvimento é crucial. Se ela tem o sonho de ser jogadora, aqui é o começo”, fala.
O respeito dos outros jogadores com a Vitória é algo admirável. “Isso mostra pra sociedade que é possível quebrar preconceitos através do esporte”, afirma Celinho.

Telefone para contato do Centro de Formação do XV de Jaú: (14) 4103 - 1515.

 

Tiago Pavini/Assessoria de Comunicação XV de Jaú