Eleição em Bariri terá dois candidatos

No dia 3 de junho, os eleitores do município voltarão às urnas para escolher o novo prefeito e vice que governará a cidade pelos próximos dois anos e meio

Por José Luiz H. Galazzini 05/05/2018 - 09:21

Duas chapas irão disputar no dia 3 de junho eleição suplementar que definirá os nomes dos novos prefeito e vice-prefeito de Bariri.

Prazo para registro das candidaturas terminou nesta sexta-feira (4), às 19h, e, a partir deste sábado (5), a propaganda eleitoral nas ruas está liberada.

A coligação "Nossa Força, Nossa Gente", formada pelos partidos PTB, Pode, PSC, PR, DEM, PSB, PV, PSDB, PRP e PEN, tem como pré-candidatos a prefeito e vice, respectivamente, Neto Leoni e Maria Pia, ambos do PSDB.

Já a coligação "A Bariri que o povo quer", que reúne os partidos PP, MDB, PPS e PSD, tem como pré-candidatos a prefeito e vice Airton Luis Pegoraro (MDB) e Luis Fernando Poloni (PPS).

De acordo com o chefe do cartório eleitoral de Bariri, Leonardo Araújo de Oliveira, a partir do registro, será publicado o edital dos candidatos e aberto prazo para apresentação de impugnações.

"Se for apresentada (impugnação), a gente notifica a parte contrária para se manifestar. Caso contrário, já vai para a sentença", explica. "Lembrando que a partir deste sábado (5) já é permitida a propaganda eleitoral".

BARRADA

A realização de novas eleições em Bariri para prefeito e vice foi aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no dia 10 de abril. Estarão aptos a votar eleitores em situação regular e com domicílio eleitoral no município até 3 de janeiro de 2018.

Em 5 de outubro de 2016, três dias após vencer o pleito com 6.891 votos, a coligação "Acelera Bariri", dos candidatos Neto Leoni (prefeito) e Dito Mazotti (vice), ambos do PSDB, teve o registro indeferido pelo TRE com base na "Lei da Ficha Limpa". 

Em novembro de 2017, TSE rejeitou por unanimidade recurso especial protocolado pela chapa, mantendo indeferimento do registro. Desde o início de 2017, Bariri era governada pelo presidente da Câmara, Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB).

No último dia 21, Araújo foi preso em flagrante em Bauru sob a acusação de estuprar uma menina de 8 anos. Na audiência de custódia, a Justiça decretou sua prisão preventiva. Desde o dia 23, ele está preso na Penitenciária II de Tremembé.

Por decisão unânime da Câmara, Araújo foi afastado do cargo e o vice-presidente do Legislativo, Vágner Mateus Ferreira (PSD), foi escolhido para comandar o município até a escolha do novo prefeito na eleição suplementar marcada para junho.