Semana Elô em Pederneiras quer incentivar doação de medula óssea

Além da entrega de panfletos e de palestra sobre o tema, doadores terão transporte gratuito até o Hospital Amaral Carvalho (HAC) em Jaú

Por José Luiz H. Galazzini 11/01/2018 - 07:45

Como forma de homenagear a estudante Eloyza Santis de Campos, que morreu em abril do ano passado, aos 16 anos, vítima de aplasia medular, a Câmara de Pederneiras e o Abutre s Social Interior, que integra o Abutre s Moto Clube, com apoio da prefeitura, estão organizando a "Semana Elô 2018" com diversas ações de incentivo a doação de medula óssea.

A proposta de criar no município uma semana dedicada ao tema é do vereador Ezequiel Lima e foi apresentada logo após a morte de Eloyza. "O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para milhares de pessoas no mundo que sofrem de doenças no sangue", justificou o parlamentar.

No projeto, ele lembra que a chance de compatibilidade entre doador e receptor é de, em média, uma em cem mil. "Para o doador, o procedimento de doação é apenas um incômodo passageiro. Contudo, para aqueles que necessitam receber o transplante, a doação significa a diferença entre a vida e a morte".

Pela lei municipal, as ações seriam realizadas anualmente entre 9 e 15 de fevereiro para coincidir com a data de aniversário da estudante. Como, neste ano, o Carnaval será neste período, os organizadores decidiram antecipar a chamada "Semana Municipal de Incentivo a Doação de Medula Óssea".

João Kamimura, responsável pelo setor social das subsedes do Abutre's Moto Clube de Pederneiras e Barra Bonita, conta que a programação terá início no próximo dia 29. "Durante toda a semana, as amigas da Elô estarão nas ruas distribuindo panfletos com esclarecimento de algumas dúvidas, com a importância de ser doador, onde se cadastrar e como fazer para se cadastrar", diz.

No dia 2 de fevereiro, a partir das 20h, o médico do Centro de Hematologia e Oncologia de Jaú Mair Pedro de Souza, que tem experiência em transplante de medula, ministrará uma palestra na sede do Legislativo voltada para funcionários da saúde e familiares de pacientes que aguardam por um doador compatível.

DOAÇÃO

No dia 3, a Prefeitura de Pederneiras irá disponibilizar dois micro-ônibus para levar interessados em doar sangue e medula óssea até o Hospital Amaral Carvalho (HAC) em Jaú. Os veículos sairão às 7h do posto de saúde do bairro Michel Neme, com paradas para embarque de novos passageiros em frente à escola Eliazar Braga e ao Centro de Especialidades próximo ao Samu.

No Hemonúcleo do HAC, será feita coleta de sangue e de material dos doadores para cadastro no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). A coleta de medula para transplante será feita somente se um receptor compatível for localizado no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme).

LUTA PELA VIDA

Diagnosticada em setembro de 2014 com aplasia medular - uma doença que leva a medula a produzir quantidade insuficiente de hemácias, plaquetas e leucócitos - , Eloyza chegou a receber um transplante de medula do pai biológico em 2015.

Apesar do sucesso inicial do procedimento, após alguns meses, exames mostraram que a medula estava perdendo força. Em janeiro de 2017, o quadro de saúde da adolescente se agravou e ela foi internada no HAC. Além de hemorragias,em razão da baixa imunidade, Eloyza passou a sofrer com infecções. No dia 11 de abril, ela acabou não resistindo.