Projeto de estudantes de Bocaina inspira criação de livro sobre bullying

Turma de Pedagogia do polo da Univesp da cidade usou a publicação 'A Menina Azul e a Descoberta do Mundo Colorido' para discutir o tema em escola

Por Paulo Grange 17/05/2019 - 08:48

JC.net

Um projeto desenvolvido por sete estudantes de Licenciatura em Pedagogia do polo de Bocaina (69 quilômetros de Bauru) da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp) inspirou a criação de um livro que, somado a outras ações, ajudou a discutir o tema do bullying com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Deputado Leônidas Pacheco Ferreira, localizada no centro da cidade.

O Projeto Integrador (PI) "Semear" foi apresentado no último semestre de 2018 pelos estudantes Ariane Barbieri, Helaine Maria Tonon, Heloisa Galvão Carriel, José Augusto Pirângelo, Paulete Nigro Riviera, Silmara Martinez e Valéria Furlanetto. 

De acordo com Ariane, ele foi desenvolvido para que os pequenos discentes pudessem identificar o bullying e compreender suas consequências no ambiente escolar. "Buscamos estimular e desenvolver habilidades cognitivas e socioafetivas de autoestima, controle emocional, respeito às diferenças e empatia como contribuição para o processo de formação humana e cidadã dos educandos", afirma.

Com tutoria de Ana Maria Torrecilha Izidoro, o grupo definiu quatro atividades a serem executadas em dois dias na instituição de ensino. Primeiro, os estudantes assistiram o curta "For The Birds", da Pixar Studios, que aborda de forma sutil temas como a tolerância e a diversidade. Após a apresentação, foi realizada a dinâmica "Folha da Vida" para expor experiências das crianças, caracterizando marcas que poderiam prejudicar o desenvolvimento pessoal de cada um.

O LIVRO

No segundo dia de atividades, as alunas Silmara e Ariane apresentaram um livro criado exclusivamente por elas para o Projeto Integrador, chamado "A Menina Azul e a Descoberta do Mundo Colorido".

O livro conta a história de Ana, uma menina que vai pela primeira vez à escola e escolhe todo o material (mochila, estojo, cadernos, canetas) e roupas (vestidos, laços e sapatos) em diferentes tons de azul, sua cor preferida. Logo, seus colegas a apelidam de "menina azul", o que gera desconforto e tristeza na criança.

Percebendo a situação, a professora de Ana propõe que cada aluno escreva um texto sobre sua cor favorita e justifique a escolha. "Criamos o texto e as ilustrações. Usamos as cores e suas misturas para mostrar como as desigualdades podem ser superadas com compreensão e respeito", explica Silmara.

DIFERENÇAS

O grupo de Pedagogia criou ainda o exercício "Caminho das Diferenças", proporcionando uma avaliação final sobre o comportamento dos jovens em relação ao bullying.

Para o orientador do polo, Emerson Vicente Florentino, a elaboração de um Projeto Integrador oferece aos discentes a oportunidade de lidar com situações desafiadoras e soluções criativas. "O PI teve um impacto intenso nos alunos dessa turma de Licenciatura. Eles vivenciaram fatos reais que ocorrem na educação. Elevaram seus conhecimentos teóricos e práticos, além de trabalharem em equipe para beneficiar um objetivo comum", ressalta.