Comitiva da Malásia visita ARTESP para conhecer modelo de pedágio automático

Nos novos contratos de concessão (Entrevias e ViaPaulista), os usuários têm, ainda, desconto de 5% na tarifa quando utilizam o pagamento automático

Por Paulo Grange 20/08/2019 - 08:03

A experiência bem-sucedida do pedágio automático no Estado de São Paulo é um dos modelos que pode servir de exemplo para a adoção da tecnologia na Malásia. Com a finalidade de conhecer o funcionamento do sistema em operação na malha rodoviária concedida do Estado de São Paulo, que foi modernizado e ampliado nos últimos anos pela ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), uma comitiva com representantes do governo e do empresariado da Malásia visitou na manhã desta segunda-feira (19) a sede da Agência Reguladora.

Antes de ser apresentada ao sistema de pedágio automático, a comitiva malaia conheceu o Centro de Controle de Informações (CCI) da ARTESP, o centro de monitoramento da Agência Reguladora que recebe imagens e informações dos 8,4 mil quilômetros de rodovias estaduais concedidas. Criado em 2014, o CCI tem como objetivo tornar a fiscalização das rodovias mais rápida e eficiente, além de fornecer informações atualizadas e em tempo real sobre as condições da malha concedida. Para desempenhar essa função, o CCI é conectado a mais de 1.200 câmeras, posicionadas estrategicamente nas rodovias concedidas, e trabalha 24h por dia, sete dias por semana. Além disso, o CCI possui tecnologias que permitem o monitoramento de call-boxes (telefones de emergência), praças de pedágio, centrais meteorológicas, tempo de atendimento de socorro mecânico e ambulâncias, entre outros indicadores de serviços previstos nos contratos de concessão.

O diretor de Operações da ARTESP, Alberto Silveira, também falou à comitiva sobre a nota etapa do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, cuja concessão do Lote Piracicaba – Panorama está em andamento, com a publicação do edital de licitação no dia 24 de julho. A comitiva ficou impressionada com a extensão do lote a ser concedida, de 1.273 quilômetros de rodovias, e o valor de investimentos previstos, de R$ 14 bilhões. "Com prazo de concessão de 30 anos, as rodovias que compõe o lote atravessam 62 municípios", explicou Silveira. A apresentação das propostas da licitação do Lote Piracicaba – Panorama está marcada para o dia 28 de novembro.

Pedágio automático. Na explanação sobre o sistema de pedágio automático do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, técnicos ligados ao projeto abordaram temas como a tecnologia utilizada, a abertura do mercado de pedagiamento eletrônico em São Paulo, a quantidade de operadoras e planos atualmente autorizados no Estado, outras aplicações da tecnologia, a segurança do sistema e os benefícios aos usuários, entre outros aspectos.

A modernização do sistema de pagamento automático de pedágio é um exemplo do investimento em tecnologia do Programa de Concessões Rodoviárias. A partir de 2011, o Governo do Estado promoveu a abertura e modernização do sistema, com a mudança da tecnologia utilizada, de 5,8 Ghz para 915 Mhz, o que reduziu os custos e ampliou a concorrência no segmento, acabando com o monopólio no serviço. Atualmente, são cinco as operadoras de pedágio automático – Sem Parar, ConectCar, Move Mais, Veloe e Greenpass –, que oferecem mais de 20 planos, seja pós-pago ou pré-pago. Hoje, o sistema conta com mais de 4 milhões de tags ativas, e os pagamentos através das pistas de pedágio automático já representam 56,5% do total. Nos novos contratos de concessão (Entrevias e ViaPaulista), os usuários têm, ainda, desconto de 5% na tarifa quando utilizam o pagamento automático. No Lote Piracicaba – Panorama, o pedágio automático irá possibilitar a adoção do Desconto de Usuário Frequente (DUF), que irá conceder descontos progressivos aos usuários dentro do mesmo mês: quanto mais vezes passar pela mesma praça, menor será a tarifa paga.