Capivara símbolo do Lago do Silvério em Jaú é sacrificada

Animal estava bastante magro, com fraturas nos dentes e lesões graves

Por José Luiz H. Galazzini 20/10/2018 - 10:50

A capivara que vivia no Lago do Silvério em Jaú, batizada pelos moradores de "Silveria", passou por uma avaliação veterinária no Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Selvagens (Cempas) de Botucatu e, por decisão dos profissionais, teve de ser sacrificada.

A capivara estava bastante debilitada e andava com dificuldade. Nesta quinta-feira (18), ela foi capturada por voluntários por meio de força-tarefa que envolveu vários órgãos para que pudesse ser avaliada em Botucatu.

De acordo com informações divulgadas por Guto Machado, voluntário da Associação Protetora dos Animais de Jaú (Apaja), em sua página no Facebook, além de ataque com pedras, existia a suspeita de que Silveria tivesse sido alvejada por disparo de arma de fogo.

A situação dela, ainda segundo o voluntário, teria se agravado durante a madrugada após briga com outra capivara por disputa de território. A expectativa é de que Silveria, que se tornou atração no lago, pudesse retornar ao seu habitat natural depois de medicada.

Porém, o médico veterinário do Cempas Rafael Gonçalves conta que os exames revelaram lesões graves em três membros, algumas com parte do osso exposta e outras bastante infeccionadas, com secreção e tecido necrosado, além de fraturas em vários dentes. "Ela também estava bastante magra", diz.

De acordo com ele, não foram encontradas perfurações de arma de fogo. "As lesões eram características de briga", afirma. Após avaliação, o veterinário explica que a decisão da equipe foi pela eutanásia diante da baixa probabilidade de sucesso em um eventual tratamento e para evitar que Silveria sofresse.