Surto leva escolas de Mineiros do Tietê a suspenderem as aulas

Prefeitura registrou um grande aumento nos últimos dias nos casos de crianças com a doença “mão-pé-boca”, que é altamente contagiosa

Por José Luiz H. Galazzini 26/03/2018 - 17:40

Um surto da chamada doença “mão-pé-boca” levou os Departamentos Municipais de Educação e Saúde de Mineiros do Tietê a suspenderem por dois dias as aulas em três creches municipais para evitar o risco de novas contaminações.

Os pais das crianças atendidas nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cemeis) Tia Bêla – Anexo B, Tia Rose e Tia Lucinha foram comunicados pela prefeitura na quinta-feira (22) sobre a suspensão das aulas na sexta-feira (23) e na segunda-feira (26).

O motivo foi o grande número de casos da doença entre os alunos das três creches municipais. Pelo Facebook, muitos pais relataram que os filhos foram diagnosticados com a síndrome que, apesar de não ser considerada grave, é altamente contagiosa.

DOENÇA

A doença “mão-pé-boca”, causada pelo vírus Coxsackie, que habita no sistema digestivo e também pode provocar estomatite, é uma espécie de afta que afeta a mucosa da boca. Embora possa acometer adultos, é mais comum na infância, antes dos cinco anos.

Os sintomas mais comuns são febre alta nos dias que antecedem o surgimento das lesões; surgimento de manchas vermelhas com vesículas branco-acinzentadas no centro na boca e erupção de pequenas bolhas nas palmas das mãos, plantas dos pés, nádegas e região genital.

A transmissão ocorre por contato direto com saliva, fezes e outras secreções e indiretamente, por alimentos ou objetos contaminados.

Como as crianças costumam colocar mãos e brinquedos na boca e nem sempre têm o hábito de lavar as mãos depois de irem ao banheiro, o vírus acaba se disseminando mais facilmente no ambiente escolar.