Mulher morre na rodovia Bauru-Jaú

O fato ocorreu no quilômetro 224 mais 400 metros, na altura do condomínio de chácaras Vale do Igapó

Por Paulo Grange 26/03/2019 - 11:09

fonte: jornal da cidade/bauru

Fotos: Samantha Ciuffa / JC

Conduzido por empresário de 42 anos, carro que atingiu a mulher ficou bastante danificado

Uma mulher não identificada pela polícia até o fechamento desta edição morreu após ser atropelada, por volta das 17h desta segunda-feira (25), em Bauru, na rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-225), conhecida como Bauru-Jaú. O fato ocorreu no quilômetro 224 mais 400 metros, na altura do condomínio de chácaras Vale do Igapó. A vítima, que aparentava ter cerca de 30 anos, morreu antes da chegada do socorro.

Segundo o JC apurou no local, ela foi atropelada, no sentido Bauru-Jaú, por um Ford/Ka vermelho, com placas de Belo Horizonte, que ficou com a frente completamente destruída. O veículo era conduzido por um empresário de 42 anos, morador de Pederneiras.

Ele conta que voltava de Bauru após compras em um atacado na cidade. "Havia um caminhão na minha frente. De repente, ele mudou de faixa de forma brusca, acho que para desviar. Quando vi, ela já estava na minha frente e não deu tempo de frear", cita o condutor, que seguia no carro com outras duas pessoas.

Nenhum dos ocupantes do veículo ficou ferido.

CHAMADO

O local do acidente fica a alguns metros de distância da Base de Bauru da Centrovias. Um socorrista da unidade contou ao JC que, instantes antes do acidente, a empresa recebeu um chamado por meio da central 0800 informando que "uma mulher estaria entrando na frente de carros na faixa da direita". 

Ao sair da base para atender a solicitação, ele se deparou com a vítima já caída e sem vida ao centro da faixa de rolamento da direita.

A mulher estava com calça e tênis de ginástica e levava uma bolsa com lingerie, roupas e creme. Um dos tênis e algumas vestimentas ficaram espalhadas pela pista com o impacto.

A Polícia Rodoviária disse que tentaria o acesso às imagens de uma câmera de segurança da Centrovias para ajudar a Polícia Civil a esclarecer a dinâmica do acidente.

A faixa da direita ficou interditada por cerca de três horas para que a Polícia Cientifica pudesse realizar a perícia técnica no local. O fluxo do trânsito foi desviado pela faixa na esquerda, mas não houve registro de congestionamento no trecho, apenas lentidão. 

Cão atropelado

A alguns metros do local em que estava o corpo da vítima, havia um cachorro de cor preta atropelado no canto da pista, no mesmo sentido, na faixa da esquerda. Aventou-se, preliminarmente, a possibilidade de a vítima ter alguma ligação com o animal, mas nada foi confirmado e funcionários da concessionária disseram que o cachorro estaria morto por lá horas antes do acidente.