Praças esportivas: Novos investimentos

Semel confirma construções de pistas de skate, quadra poliesportiva e campo soçaite para o próximo ano

Por José Luiz H. Galazzini 27/12/2017 - 11:51

 

Faustini revela que novas praças esportivas serão construídas com recursos do Estado ou da União

A Secretaria Municipal de Esportes (Semel) confirma o início das obras de cinco novas praças esportivas em Bauru ao longo de 2018. Todas contarão com recursos do Estado ou da União, obtidos através de convênios ou emendas parlamentares. O secretário de Esportes, Luís Faustini, menciona que esta foi a maneira encontrada pelo município para investir no setor, diante da dificuldade financeira da prefeitura para novos investimentos no esporte.

Entre as novas praças esportivas, estão duas pistas de skate. Uma deve ser concluída já no próximo ano, no Parque Santa Edwirges, afirma Faustini. Trata-se de uma obra com recursos do Estado, obtidos por meio do Programa 100% Esporte Para Todos, da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Selj), com custo aproximado de R$ 130 mil.

A outra pista, com dimensões maiores, será no Núcleo Mary Dota, e vai custar mais de R$ 500 mil, sendo R$ 450 mil obtidos por meio de emenda parlamentar do deputado federal Nilto Tatto (PT-SP) e o restante em contrapartida da prefeitura, devendo ser licitada e iniciada em 2018, e concluída no ano seguinte.

Outra obra no Parque Santa Edwirges é uma quadra poliesportiva, ao lado da pista de skate. Faustini comenta que a construção será possível por conta de uma emenda parlamentar do deputado estadual Cezinha de Madureira (DEM), na ordem de R$ 129 mil. Por fim, será construído um campo de futebol soçaite ao lado do Estádio Edmundo Coube, no Jardim Araruna, também com verba estadual de R$ 130 mil.

CENTRO DE INICIAÇÃO

A obra de maior porte que está prevista para 2018, com conclusão até 2020, é a do Centro de Iniciação ao Esporte (CIE), na região da Quinta Ranieri. Os trâmites para a obtenção dos recursos junto ao Ministério do Esporte começaram na gestão passada, que definiu também a área que receberá a construção.

A licitação está na reta final e a empresa com melhor classificação foi a que ofereceu proposta de receber R$ 3,5 milhões para assumir a obra. Outras empresas pediram valores entre R$ 4 milhões e R$ 4,5 milhões.

O CIE será construído com verba do governo federal, e contrapartida da prefeitura, e quando estiver concluído abrigará ginásio poliesportivo padrão, arquibancada para 177 lugares, quadra reversível coberta, estrutura para atletismo e área de apoio (administração, sala de professores/técnicos, vestiários, chuveiros, enfermaria, copa, depósito, academia e sanitário público).

Estádios distritais

Outra demanda do setor esportivo é a revitalização dos estádios distritais. O secretário de Esportes, Luís Faustini, afirma que a pasta tem poucos recursos para as reformas dos estádios e também buscará recursos dos governos estadual e federal. O primeiro a receber investimentos, caso a verba seja liberada, é o Horácio Alves Cunha, no Jardim Bela Vista. Faustini conversou com o deputado federal José Olímpio (DEM-SP), que tentará a liberação de R$ 250 mil. Também é possível que o Estado ajude com mais R$ 150 mil, demanda que está sendo intermediada pelo deputado estadual Pedro Tobias (PSDB). A prioridade é reformar setores como acessibilidade e vestiários. O gramado dependeria de recursos próprios da prefeitura. Em seguida, a Semel tentará verba para reformar os demais estádios, na média de um ou dois por ano. "São reformas caras, para melhorar a qualidade dos estádios e obter Auto de Vistoria de Corpo de Bombeiros (AVCB), por exemplo. Não temos esse recurso, por isso vamos buscar em parcerias com o Estado e a União, e emendas parlamentares, e a prefeitura investiria no gramado. O ideal seria conseguir reformar dois estádios por ano, assim em pouco tempo todos estariam em condições boas. Mas depende de dinheiro", afirma Faustini.