Pederneiras recebe mais 5 caminhões: renovação de frota chega a 50 veículos

Desde o início desta administração, há uma média de cerca de 2 veículos adquiridos ao mês, em substituição a uma frota que ainda utilizava caminhões da década de 60

Por Paulo Grange 31/08/2019 - 07:21

Veículos antigos, lentos e com muitos problemas mecânicos finalmente ganharão descanso depois de até meio século de uso intenso. A Prefeitura de Pederneiras está comprando novos veículos e recuperando a frota municipal desde 2017, quando a atual administração assumiu a Prefeitura e encontrou uma frota sucateada e sem manutenção.

O trabalho foi comprar veículos novos, recuperar aqueles que tinham possibilidade por falta de manutenção adequada e ainda desativar alguns por serem muito antigos, poluidores e cuja manutenção se tornou inviável em termos de economia e segurança.

"Estamos falando de veículos operacionais com 30, 40, 50 anos de uso. Um completo absurdo. Veículos que deveriam ter sido desativados e substituídos há décadas, estavam se arrastando pelas ruas, gerando gastos excessivos para os cofres públicos, tornando a frota obsoleta, poluindo o meio ambiente e atrasando as prestações de serviços à população. Temos o caso, por exemplo de um Mercedes Benz Munk, que tem 51 anos", relembrou o prefeito Vicente Minguili.

O trabalho de recuperação da frota começou em 2017. Desde então, milhões de reais estão sendo investidos na manutenção adequada e na compra de novos veículos, lembrando que muitos desses recursos vieram conquistados dos governos Federal e Estadual. Parcerias com a iniciativa privada também foram feitas para agilizar o processo de conserto de alguns veículos a fim de ampliar as prestações de serviços públicos no município. Além disso, a Prefeitura iniciou a maior compra de veículos da história da cidade. Até agora, foram 50 veículos novos comprados para várias secretarias e áreas da administração municipal. Apenas a Saúde Municipal recebeu 20 novos veículos entre ambulâncias e veículos operacionais, totalizando um investimento de R$ 1,8 milhão, conquistado por meio de emendas parlamentares.

Para se ter uma ideia da importância deste trabalho de renovação da frota, apenas nos últimos 10 dias a Prefeitura recebeu 5 novos veículos. Eles serão utilizados em diversos setores, mas quatro deles serão utilizados para ampliar e agilizar a limpeza pública em Pederneiras, algo primordial para o bem-estar da população. São 4 caminhões da marca Mercedes, três deles com caçamba basculante de 6 m3 e um com caçamba de aço, do tipo carga seca. O outro é da marca Volkswagen, com carroceria de alumínio e cesta aérea, que será utilizado para serviços de manutenção elétrica em alturas, entre outras atividades.

Além deles, a Prefeitura de Pederneiras adquiriu recentemente dois outros caminhões para intensificar os serviços de limpeza pública em Pederneiras, além de dois novos tratores agrícolas da marca New Holland com roçadeiras individuais, uma pá carregadeira articulada da marca Case, quatro veículos Gol e duas pick-ups Saveiro.

Há ainda outros veículos que estão sendo comprados e serão entregues nas próximas semanas, como umcaminhão-pipa e um novo caminhão de lixo. No total, R$ 6,2 milhões estão sendo investidos apenas neste ano na renovação da frota municipal em Pederneiras com recursos da FINISA, uma linha de crédito feita entre Prefeitura e Caixa Econômica Federal com aval da Câmara de Vereadores.

Todos esses veículos estão sendo agregados à frota municipal e vão contribuir para dinamizar e ampliar os serviços prestados pela Prefeitura nas áreas de infraestrutura, limpeza pública, elétrica e outras atividades importantes para o bom andamento da cidade.

"Quero deixar claro o meu compromisso com a população e com a melhoria da questão pública. Com gestão, apoio dos vereadores e economia estamos conseguindo dar passos importantes e fazer as mudanças necessárias para Pederneiras voltar a crescer. A frota está sendo renovada e, com isso, a população pode sentir as melhorias nas prestações de serviços no dia a dia", conclui o prefeito.

Vale destacar que os veículos mais antigos, alguns fabricados nas décadas de 60 e 70, foram desativados e estão em processo público de leilão.