Série Jahu por suas Ruas - Avenida Zezinho Magalhães - 4º episódio

A TV Câmara Jahu lança neste dia 15 de agosto, no 166º aniversário de emancipação político-administrativa de Jahu, o quarto episódio da série “Jahu por suas Ruas”. O homenageado é José Magalhães de Almeida Prado, o Zezinho Magalhães. oje, numa apaixonada e polêmica mistura de política e futebol.

É Zezinho Magalhães o nome de um dos maiores estádios do interior paulista, o ‘Jauzão’. E até um projeto modelo de habitação popular em Guarulhos, o Parque Cecap, leva o nome Zezinho Magalhães Prado. Zezinho Magalhães é, também, denominação de uma das mais importantes avenidas da cidade de Jahu.

As façanhas desse líder são contadas pela TV Câmara Jahu desde quando ele tinha 16 anos e fugiu da família, em Jahu, para lutar contra Getúlio Vargas, na Revolução Constitucionalista de 1932.

Depois, se tornoulíder da UDN, partido conservador em Jahu, e foi o terceiro vereador mais votado em 1947. Em 51, perdeu as eleições a prefeito por apenas 34 votos para Luiz Liarte.

Na eleição seguinte, em 1955, Zezinho Magalhães foi eleito prefeito com 5.022 votos, derrotando Osório Neves.

Enquanto prefeito, o apelido dele era ‘Zé Tatu’. Pelas inúmeras realizações que fez em seu mandato, Zezinho iniciou um ciclo que ficou conhecido como Administração Dinâmica.

Ainda enquanto prefeito de Jahu, Zezinho Magalhães foi eleito deputado estadual. Depois, foi nomeado superintendente da Caixa Estadual de Casas para o Povo (Cecap-SP), órgão ligado ao Governo do Estado.

Além de se destacar politicamente, Zezinho Magalhães foi peça fundamental para elevar o Galo da Comarca à Primeira Divisão do Campeonato Paulista na década de 50.

Morreu em 1969, aos 52 anos de idade, deixando para trás uma legião de seguidores e um bom número de adversários.

Para ilustrar e ajudar a contar parte da trajetória de um dos maiores políticos que Jahu já teve, o quarto episódio da série “Jahu por suas Ruas” traz fotografias da época e depoimentos de quatro filhos de Zezinho Magalhães: Dora Maria de Almeida Prado Montenegro, José Maria de Almeida Prado Neto, Elza Maria de Almeida Prado e José Heitor Colombini de Almeida Prado, bem como com depoimentos de pessoas que também conviveram com ele, como Antonio Evaristo Marot e VanthierMantovanelli, e ainda com relatos dos escritores Antonio Fernando Reginato e Hamilton Chaves.