Menu
Sábado, 04 de dezembro de 2021

Betinho Padrenosso, músico e instrumentista, morre em Jaú nesta segunda aos 47 anos

O Jaumais ainda não tem informação sobre velório e sepultamento de Betinho

08 de Nov 2021 - 20h:29 Créditos: Paulo César Grange
Crédito: Reprodução redes sociais

O fim de tarde foi triste para a galera que aprendeu a curtir o som de Betinho Padrenosso. O músico, instrumentista, produtor cultural morreu nesta segunda-feira, causando comoção entre os jauenses e amigos de um dos ícones da cultura. O Jaumais ainda não tem informação sobre velório e sepultamento de Betinho. Ele passava por problemas de saúde.

Betinho fez parte de várias bandas da cidade, como Estado de Shock, Cadilac Valvulado e Vambora, além de tocar para outros músicos, fazendo shows com sua guitarra. Era um símbolo do talento musical de Jaú. Entre suas obras como letrista está a  música "Manga Rosa", que fez sucesso nacional há mais nos anos 90 - música esta em co-autoria com Rodrigo Murgel.


Dois ex-secretários de Cultura de Jaú utilizaram as redes sociais para falar sobre Betinho e sobre a perda para a sociedade. André Galvão escreveu:

"A notícia triste invade a segunda-feira para informar do falecimento do Betinho Padrenosso. No Brasil que insiste diariamente em sabotar a nossa cultura, o Betinho foi um gigante. Nascido no seio de família musical, os Pedrenosso e Capelozzas, bem ali na borda do Santo Antônio, um dos mais virtuosos que conheci. Compositor, intérprete e produtor musical, embalou por muitos anos a cena musical no interior paulista. Como diretor musical na secretaria de cultura, democratizou a cena cultural, produziu grandes shows, Hermeto Pascoal, Naná Vasconcelos, Jorge Benjor e com a sua Banda, a Vambora, influenciou uma geração de novos músicos que o tinham como referência. Foi um dos criadores do Movimento Subindo a Ladeira, que mapeou a nova geração de músicos em Jaú e sonhava com o circuito Garapa, para dar eixo aos grupos do interior paulista. Na foto em 2009, a lembrança do Betinho amigo, produzindo o Julho Cultural, jauense com J maiúsculo, que nas andanças da vida, nos deixou aqui com o coração apertado e lágrimas. Que Nossa Senhora te acolha e você tenha o descanso merecido.

Betinho, com André Galvão (centro) e o produtor cultural de Londrina, Paulão Rock'Roll

Cléo Furquim, ex-vereadora e secretária de Cultura no início do segundo mandato de Rafael Agostini, manifestou a tristeza com tantas perdas nos últimos tempos:

"R.I.P. Betinho Padrenosso. Nos últimos tempos passamos por tantas mortes por causa da pandemia, mortes de pessoas conhecidas, de amigos, familiares. Porém, a gente não se acostuma com a ideia da ausência, da perda.

Eu, não sei de vocês, mas essa proximidade com a morte, não me tornou uma pessoa que consegue lidar melhor com a morte. Por isso, venho cá, manifestara minha profunda e absoluta tristeza nesses tempos em que principalmente gente nova, talentosa, perde a vida. Independente de como ou por quê, a gente não consegue e não aprende a lidar com o "foi prá sempre!" E de novo, somos surpreendidos por ela. A morte. Betinho, bom menino, irmão, filho. Músico talentoso, produtor esmerado. Lá foi ele... Vai em paz! Que Deus conforte os seus, que o que receba em sua misericórdia"


A dupla Symployds se manifestou assim: "A música jauense se despede de um grande ícone! Betinho Padrenosso se foi, mas será sempre lembrado! Vá em paz, tocar guitarra nas estrelas."

Pedro Nassif Matot: "Quando eu entrei para o universo da música, na adolescência, eu e meus amigos tivemos a sorte de cair nas mãos desse cara, pra gravarmos nosso EP! Foi uma experiência que pra sempre levarei na memória, por tantas risadas, descobertas e pela gravação das nossas músicas. Depois disso, toda vez que encontrava ele por aí, era tratado com risadas, carinho e respeito. Todo show que via dele, eu me sentia uma criança vendo seu mentor! Eu me achava o máximo quando alguém que não era de Jaú dizia que conhecia sua música "da manga" e eu falava que te conhecia, que tinha gravado no seu estúdio...Hoje foi um choque pra mim receber a notícia da sua partida...Que sua passagem seja leve e tranquila! E que a festa continue no céu com o swing contagiante da sua guitarra! Descanse em paz, Betinho Padrenosso ! Meus sentimentos à família e aos amigos!"

Betinho e Robson

Robson Fernando Bugiga: "Vai com Deus amigo Betinho Padrenosso Um dia tocaremos mais algumas canções juntos lá em cima. Sua humildade me marcou."

Márcio Camargo: "Que notícia triste, grande Betinho Padrenosso , uma lenda do cenário musical, um dos gigantes do interior. Merece nossos Aplausos"

Márcio Pelegrina: "Descanse em paz querido Betinho Padrenosso . Jaú perde mais do que uma lenda da guitarra, um ser humano ímpar, humilde e doce. Fique em paz cara"

O BLOG DE WILSON MORAIS  TEM UM POUCO DA HISTÓRIA DE BETINHO

CLIQUE AQUI. 


Betinho tocou junto com Fernando e Alexandre Lazzari no Estado de Shock por mais de 10 anos.

widget de imagem

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias