Menu
Segunda, 25 de janeiro de 2021

Casos de covid disparam em Jaú e Prefeitura pede ajuda da Unoeste com

Faculdade de Medicina de Jaú disponibilizou seus protocolos de saúde e segurança e também criou novos para outros segmentos da cidade

13 de Jan 2021 - 11h:42 Créditos: Assessoria, Unoeste
Crédito: Coordenadora administrativa da Unoeste em Jaú, Dra. Amanda Creste, participa de coletiva de imprensa com o prefeito Ivan Cassaro e autoridades - Foto: Thais Gonçalves

Preocupados com a evolução da pandemia e o aumento de casos de Covid na cidade, a nova administração da Prefeitura Municipal de Jahu buscou a Unoeste para ajudar na elaboração de um plano de contingência com medidas de saúde e segurança na tentativa de conter o número de casos e evitar um colapso na saúde do município. A Faculdade de Medicina cedeu os protocolos elaborados no começo do ano e criou novos para outros segmentos da cidade.

Na tarde dessa terça-feira (12), a prefeitura realizou coletiva de imprensa para alertar a população sobre o crescente número do coronavírus na cidade e, juntamente com a Santa Casa, dar uma posição sobre a situação do hospital que atende os casos de Covid do município e outras cidades da região. Na coletiva estavam presentes o prefeito Ivan Cassaro, o vice-prefeito Tuco Bauab, o secretário de saúde, Rodrigo de Callis Brandão, o provedor da Santa Casa de Jaú, Alcides Bernardi Júnior, o corpo clínico do hospital, a coordenadora administrativa da Unoeste Jaú, Dra. Amanda Creste Martins da Costa Ribeiro Risso, e vários veículos de imprensa, além  de outras autoridades.

O prefeito Ivan Cassaro solicitou à população que ajude no combate ao coronavírus, afirmando que é uma doença grave e que as pessoas não estão levando a sério. Reforçou o pedido do uso de máscara e cumprimento das normas de higienização. “Dessa forma, cuidamos do nosso próximo. Os números aumentaram muito devido às comemorações de fim de ano. Não temos uma grande estrutura para fiscalizar 150 mil habitantes. Contamos com cada munícipe para nos auxiliar nessa fiscalização também, pois queremos evitar o fechamento do comércio e o aumento do número de mortes”, afirmou o chefe do executivo.

Já o secretário de saúde, Dr. Rodrigo de Callis Brandão, lembrou que em 8 de janeiro a cidade, que pertence à Divisão Regional de Saúde (DRS) Bauru (que gerencia 68 municípios), estava na fase amarela do Plano São Paulo, com liberação de atividades. Brandão destacou que, para essa classificação, o Governo do Estado observa a capacidade do sistema de saúde (taxa de ocupação de leitos UTI Covid e leitos UTI Covid a cada 100 mil habitantes) e a evolução da epidemia (número de casos, número de internações e número de óbitos).

“Hoje temos uma piora significativa dos dados, o que pode levar Jaú para a fase laranja [fase de atenção, com eventuais liberações], pois estamos com 76% de ocupação de UTI. As enfermarias estão lotadas e os médicos sobrecarregados”, revela Brandão. Ainda de acordo com ele, para permanecer na fase amarela a população tem que colaborar, caso contrário, o sistema de saúde vai ter um colapso em 15 dias e não haverá vagas suficientes para atendimento”, alerta.

O secretário de saúde falou também sobre o plano de contingência elaborado junto à Unoeste. “Em colaboração com a Faculdade de Medicina de Jaú da Unoeste, o plano de contingência foi redigido com extremo zelo e cuidado”. Brandão destacou ainda a importância da parceria da nova administração com a universidade. “A instituição está nos ajudando muito, essa aproximação é muito importante para o poder público, principalmente neste momento. Estamos unindo forças para que juntos possamos solucionar o problema”.

De acordo com a coordenadora administrativa do campus Jaú, Dra. Amanda Creste Martins da Costa Ribeiro Risso, a Unoeste está disposta a auxiliar a prefeitura no que for preciso para combater a proliferação do vírus na cidade. “Assim que nos procuraram para a criação do plano de contingência, cedemos os protocolos já elaborados e desenvolvemos em tempo recorde novos protocolos para outras áreas ainda não exploradas”, pontua.

Dra. Amanda acrescenta que para o número de casos diminuir, é preciso que todos se conscientizem, sigam os cuidados à risca e saibam que agora não é período de aglomeração. “O plano de contingencia traz, portanto, os cuidados e protocolos de orientações para saúde e higienização, que deverão ser seguidos por todos os munícipes. E visa, principalmente, zelar para que a cidade adote e mantenha todas as medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública estabelecidas pelas autoridades de saúde para o enfrentamento do coronavírus”, finaliza.

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias