Menu
Quinta, 17 de junho de 2021

Vírus mutante que contagiou Manaus é identificado em Jaú e explica disparada de mortes

Morreram cinco vezes mais cidadãos de Jaú do que residentes de fora em tratamento na cidade: são 135 óbitos em Jaú neste ano, contra apenas 25 de moradores de fora

13 de Fev 2021 - 21h:11 Créditos: Paulo César Grange
Crédito: Iva e Rodrigo em vídeo no qual explicam testes em pessoas que morreram na cidade: medidas mais duras em estudo

Está explicado o motivo de morrer tanta gente de covid-19 em Jaú na comparação com outras cidades do país. A disparada de mortes na cidade neste ano - 135 mortes em 44 dias, contra 96 mortes de todo o ano passado - causou medo no cidadão, que chegou a especular sobre infecção hospitalar ou algo ainda pior. Neste sábado, a Prefeitura de Jahu informou que a variante do coronavírus de Manaus foi identificada entre pacientes na Santa Casa de Jahu. Mais contagioso e mais mortal, o vírus repete em Jaú o cenário no Amazonas matando mais pessoas e de idade fora do grupo de risco.

"De cinco amostrar enviadas ao Instituto Adolfo Lutz de São Paulo, três deram positivo para essa nova cepa no sequenciamento genético que foi realizado”, disse o secretário de Saúde de Jahu, Rodrigo de Callis Brandão.Ele alerta a população para amplie ainda mais os cuidados, caso contrário medidas muito mais restritivas poderão ser adotadas a cidade. Já se estuda o "lockdown", ou seja, o fecha tudo.

Vídeo divulgado pela Prefeitura traz o prefeito prefeito Ivan Cassaro falando de forma séria: “Peço que agora a população tenha cuidado triplicado, porque a maioria [dos pacientes infectados pela variante do vírus] vai a óbito”. Segundo ele, "o vírus que contagiou Manaus" faz Jaú passar por um momento difícil.

O secretário disse que essa constatação do Instituto deixa claro o porquê de Jaú se sobressair no índice de letalidade de covid e virar tema de reportagem internacional. "Isso responde todas as dúvidas que a gente tinha até então. A doença estava tendo um curso mais rápido, mais virulento e com mais mortes de pessoas fora do grupo de risco."



ASSISTA AO VÍDEO COM O ALERTA DE CASSARO E DE RODRIGO BRANDÃO

Ivan Cassarp explicou que cinco amostras colhidas de pacientes jauenses foram enviadas para exames. Três delas voltaram neste sábado positivas para o vírus mutante.Um relarório com as provas foi encaminhado à imprensa. O grande número de óbitos em janeiro (56) e especialmente em fevereiro (75), como também a necessidade cada vez maior de internar pacientes doentes levaram às autoridades a buscar explicação. Jaú enviou amostras aleatórias para exames e o próprio Estado determinou a realização de um inquérito epidemiológico na cidade.

“Vamos tomar cuidado, ficar dentro de casa e nos resguardar, senão medidas ainda mais drásticas terão de ser tomadas, que é tudo o que o nosso governo não quer nesse momento”, alertou o secretário. A cidade está na fase Vermelha desde 25 de janeiro, com atividades não-essenciais fechadas. Mesmo assim ainda não se nota um arrefecimento no número de casos e de mortes.

Em 31 de dezembro de 2020 Jaú tinha registrado 96 falecimentos por causa da covid e hoje o número chegou a 231. Já os residentes de fora em tratamento na Santa Casa eram 59, subindo para 84. Ocorreram praticamente cinco vezes mais mortes de pessoas de Jaú do que de fora.


Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias