Menu
Terça, 14 de julho de 2020

Com 4 unidades de saúde prontas e fechadas, Jaú está na mira do Tribunal de Contas do Estado

UPA tem prazo para ser entregue à população até o fim do mês

15 de Jun 2020 - 19h:21 Créditos: Paulo César Grange, com HoraH Notícia
Crédito: Reprodução

Jaú tem quatro unidades de saúde prontas para uso, mas estão fechadas porque a Prefeitura de Jahu não resolve colocar em funcionamento. São obras que começaram a ser construídas no primeiro mandato do prefeito Rafael Agostini, que terminou em 2016. Essa situação virou notícia em dois canais nesta segunda-feira: Noticidade, do SBT, e no HoraH Notícias.  O Tribunal de Contas do Estado está observando essa situação e espera solução para breve.

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Jardim Bernardi, por exemplo, foi concluída no primeiro mandato do atual prefeito, mas nunca foi inaugurada. E não vai ser como UPA. Vai ser um misto de unidade básica com unidade especializada quando isso ocorrer. E que deveria ocorrer até o dia 30 deste mês, conforme prazo dado pelo Governo Federal (MAIS DETALHES ABAIXO).


POSTINHOS FECHADOS - As outras três unidades são os famosos “postinhos”, que começaram a ser construídos entre 2013 e 2016, deveriam ter sido entregues até o fim do primeiro mandato de Agostini, mas as obras ficaram paralisadas, até que foram finalizadas no fim de 2018. Em março de 2019 a Prefeitura de Jahu divulgou para a imprensa que as obras estavam praticamente prontas nas unidades do Jardim São Crispim, do Bela Vista e do Distrito de Potunduva.

Mais de um ano se passou e todas permanecem fechadas. O Jaumais enviou questionamento semana passada à Secretaria de Comunicação, pedindo informações sobre datas de inauguração, mas não obteve resposta. Segundo membros do Conselho Municipal, o início do atendimento seria pra breve.

Sobre as três unidades, o SBT entrevistou nesta segunda-feira com o direto do TCE em Bauru, José Paulo Nardone. Ele diz que acompanha essa “novela” e já apontou o problema no relatório. Segundo ele, as obras foram contratadas em 2015 pela Prefeitura de Jahu por meio de convênio.

“As obras chegaram a ser concluídas no final de 2018. A partir de 2019, quando detectamos que concluídas não foram inauguradas, apontamos em nosso relatório de 2019. Estamos no aguardo da decisão desse processo no TCE”, disse Nardone. 

Segundo o diretor do TCE, o que adianta uma obra ser finalizada, mas não presta serviço à população. Ele aponta ainda que equipamentos comprados na época que se construiu perdem a garantia, ocorre depreciação, vandalismo... “tudo isso pode agravar a penalização do gestor”, explica.

Localização das unidades:

UBS Bela Vista: Rua Marcel Maziteli Trindade 221, Residencial Bela Vista

UBS São Crispim: Rua Roberto Crozera 501 - Jardim São Crispim

UBS Pedro Julian: Rua Pedro Amâncio de Oliveira 335 - Residencial Pedro Julian

UPA, Jardim Bernardi: pronta desde 2016

UPA: MILHÕES À TOA – Sobre a UPA, o HoraH traz a notícia de que ela tem prazo para ser entregue, agora com outra finalidade. Veja a seguir:

Pronto, fechado e deteriorando há praticamente quatro anos. O prédio gigante do que seria a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na Zona Norte de Jaú, com 1,2 mil m2 de área construída e que ocupa quase um quarteirão inteiro entre os residenciais Pires e Bernardi, virou marca registrada do desperdício de dinheiro público. Cerca de R$ 3,5 milhões para construir e outros R$ 3 milhões para equipar o local, continuam sem destinação.

“Todo o trâmite que tinha que fazer a gente fez, quando eu era o secretário (da Saúde). Conseguimos mudança de finalidade e agora tem que equipar, transferir profissionais que ficam no (antigo Hospital) São Judas, que são os médicos de especialidades, pra economizar no aluguel do São Judas”, justificou o vereador Wagner Brasil. Segundo ele, o prazo dado pelo Governo Federal para o prédio funcionar vence dia 30 deste mês.

Feito para ser UPA, o local terá outras destinações. “Colocamos para médicos de especialidades, uma viatura do SAMU, atendimento à mulher, farmácia, porque o espaço é muito grande e você economizaria com aluguel. O objetivo seria esse”, acrescentou o ex-secretário. Desde 2018, a responsabilidade passou a ser da atual secretária Márcia Nassif. “Sei que foi colocado algum mobiliário, lavada a caixa d’água, feita a parte elétrica e instalado ar-condicionado. Agora é uma questão de fazer a transferência dos profissionais”, finalizou, acreditando que “possa ter alguma novidade” entre o final do mês e início de julho.

A NOTÍCIA COMPLETA ESTÁ NO SITE HORAH. CLIQUE AQUI


Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias