Menu
Terça, 14 de julho de 2020

Academias de Jaú criam protocolo para voltar a abrir e esperam decisão da Prefeitura

Cidade já esteve na fase 3, com regras mais flexíveis, mas o prefeito não autorizou reabertura de academias

16 de Jun 2020 - 23h:01 Créditos: Paulo César Grange
Crédito: Bill, no vídeo publicado no perfil da Academia do Bill

As academias são um dos setores mais afetados pela quarentena por causa do coronavírus. São quase três meses de portas fechadas, sem alunos, com funcionários demitidos ou com suspensão de contrato de trabalho. São 56 estabelecimentos sem atividades, deixando em situação de incerteza cerca de 450 funcionários. Os donos de academias querem voltar a reabrir e argumentam que são essenciais porque cuidam da saúde.

Protocolo elaborado por grupo de academias de Jaú foi entregue à Prefeitura ainda quando Jaú estava na fase 3, mas o prefeito Rafael Agostini não possibilitou a negociação como foi feito em outras cidades da região e a abertura não ocorreu. Na reunião com prefeito, o representante dos profissionais de educação física, Renan Floret Turini Claro, que faz parte do CREF, entregou  o protocolo apresentando todo o sistema de segurança, redução de número de alunos, higienização e limpeza.

Bill lembra que desde 2002 o Ministério da Saúde considera a educação física como área da saúde. E o ministério chegou a convocar os profissionais para fazer um curso de capacitação de covid-19. “Trabalhamos com qualidade de vida e também com cardiopatas, diabéticos, depressivos, problemas ortopédicos e outros mais. Então solicitamos ao prefeito de Jaú que dê uma atenção especial ao protocolo que entregamos a ele para que possamos reabrir nossas academias”.

Em relação aos funcionários, Bill diz que teve de afastar todos dentro da legislação criada pelo governo federal, uma vez que são registrados e entram no sistema de suspensão de contrato e redução salarial. Grande parte das academias, no entanto, mantém professores sob contrato como prestadores de serviços. Nesse caso, a saída dos profissionais foi solicitar o auxílio financeiro.

UM VÍDEO FOI CRIADO PARA ORIENTAR OS FREQUENTADORES

Sem resposta  - “Em cima de tudo o que apresentamos, o prefeito ficou de dar um retorno e estamos esperando. Achamos que iria abrir nesta segunda, mas o prefeito não deu resposta. A situação retrocedeu (do nível 3 para o nível 2) e ficamos perdidos. Agora esperamos que reabra no dia 28, mas ninguém dá um sinal”, comentou Rinaldo Luchesi, o Bill, professor de natação e técnico esportivo com pós-graduação na área e cursando mestrado em gestão esportiva.

Bill conta que desde o início da quarentena, quando as academias foram fechadas por causa das restrições, foi formado um grupo com todas as academias da cidade. “São mais de 60 donos. Conversamos com a Prefeitura na época com uns 20 dias fechados, já tentando a reabertura. O tempo foi passando e as normas do governo piorando, o prefeito de Jau sendo criterioso... E já se passaram 90 dias.”

O protocolo entregue ao prefeito pelas academias de Jaú foi elaborado pela Associação Brasileira de Academias (ACAD) e pelo CREF (Conselho Regional de Educação Física) e teve avaliação da Faculdade de Enfermagem - Saúde Coletiva da USP de São Paulo

Fase laranja – Quando do lançamento do Plano SP pelo governo estadual, Jau foi classificada na fase 3 (Amarela), com base nos indicadores do coronavírus. Naquele momento, entre serviços não essenciais, Jaú só autorizou comércio de rua, shoppings, escritórios, imobiliárias, revendas de carros e salões de beleza, estes últimos com uma semana de atraso. Passados 15 dias, a cidade foi rebaixada para a fase laranja. Na última segunda-feira, decreto da Prefeitura fechou de novo os salões e manteve fechadas as academias.


BILL DIVULGA VÍDEO FALANDO DA NECESSIDADE DA VOLTA ÀS AULAS DENTRO DAS NORMAS DE SEGURANÇA



ALGUMAS MEDIDAS DO PROTOCOLO DA ACAD. VEJA A CARTILHA COMPLETA. CLIQUE AQUI

- Disponibilizar recipientes com álcool em gel a 70% para uso por clientes e colaboradores em todas as áreas da academia (recepção, musculação, peso livre, salas de coletivas, piscina, vestiários, kids room, etc).

- Durante o horário de funcionamento da academia, fechar cada área de 2 a 3 vezes ao dia por, pelo menos 30 minutos, para limpeza geral e desinfecção dos ambientes

- Exigir o uso de chinelos no ambiente de práticas aquáticas.

- Após o término de cada aula, higienizar as escadas, balizas e bordas da piscina.

- Garantir a qualidade da água nas piscinas com eletroporação e filtros químicos em alta concentração.

- Posicionar kits de limpeza em pontos estratégicos das áreas de musculação e peso livre, para que os clientes higienizem os equipamentos (colchonetes, halteres e máquinas) com produto específico para esse fim.

- USO OBRIGATÓRIO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPIs) PARA FUNCIONÁRIOS, PERSONAL TRAINERS E TERCEIRIZADOS: Máscaras (por recepcionistas, professores, equipe de limpeza, gerentes e terceiros). Também vale incentivar os clientes a treinar usando máscaras.

- RECOMENDA-SE MEDIR COM TERMÔMETRO DO TIPO ELETRÔNICO À DISTÂNCIA A TEMPERATURA DE TODOS OS ENTRANTES. Caso seja apontada uma temperatura superior a 37.8 °C, recomenda-se não autorizar a entrada da pessoa na academia, incluindo clientes, colaboradores e terceirizados.

- SE ALGUM COLABORADOR APRESENTAR FEBRE ALTA junto com algum outro sintoma de COVID-19, informar imediatamente à gerência local.

- NO CASO DO USO DE LEITOR DE DIGITAL PARA ENTRADA NA ACADEMIA, deve-se disponibilizar um recipiente de álcool em gel a 70% ao lado da catraca. Além disso, o cliente deve ter a opção de acessar à academia comunicando à recepcionista seu número de matrícula ou seu CPF, para que não precise tocar no leitor digital.

- OFERECER DISPOSITIVO PARA LIMPEZA PARA SAPATOS na entrada da academia.

- LIMITAR A QUANTIDADE DE CLIENTES QUE ENTRAM NA ACADEMIA: ocupação simultânea de 1 cliente a cada 6,25 m² (áreas de treino, piscina e vestiário).

- DELIMITAR COM FITA O ESPAÇO em que cada cliente deve se exercitar nas áreas de peso livre e nas salas de atividades coletivas. Cada cliente deve ficar a 1,5 m de distância do outro.


- UTILIZAR APENAS 50% DOS APARELHOS DE CÁRDIO, ou seja, deixar o espaçamento de um equipamento sem uso para o outro. Fazer o mesmo com os armários.

- LIBERAR A SAÍDA DE ÁGUA no bebedouro somente para uso de garrafas próprias.

- REALIZAR O CONGELAMENTO DOS PLANOS de clientes acima de 60 anos de idade, quando solicitado.

- COMUNICAR PARA OS CLIENTES TRAZEREM AS SUAS PRÓPRIAS TOALHAS para ajudar na manutenção da higiene dos equipamentos. Caso a academia forneça toalhas, elas devem ser descartadas pelo cliente em um recipiente com tampa e acionamento por pedal.



widget de imagem

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias