Menu
Quarta, 03 de março de 2021

Governador coloca Jaú na fase Vermelha e rebaixa outras regiões de SP à fase mais restritiva

Medidas começam a valer segunda-feira; somente serviços essenciais podem funcionar, o resto só no delivery e drive thru

22 de Jan 2021 - 16h:06 Créditos: Paulo César Grange, com Assessoria GovSP
Crédito: .

Jaú está na fase Vermelha do Plano São Paulo. Agora é fechar as portas e voltar aos tempos de início da pandemia, com muitas restrições e funcionamento somente do comércio essencial. É isso o que prevê a decisão anunciada nesta sexta-feira pelo governador João Doria.

Cabe ao prefeito Ivan Cassaro decidir por meio de decreto as normas para a cidade, se adota a rigidez da fase Vermelha ou se admite alguma flexibilização, correndo o risco de ser acionado pelo Ministério Público. As medidas do Plano SP valem a partir de segunda, portanto o prefeito de Jaú tem até domingo para decidir como vai agir.

Jaú faz parte da região de Bauru, uma das que foram rebaixadas à fase Vermelha por causa dos números de covid que crescem sem parar e coloca em risco o atendimento médico – os hospitais estão com quase 100% de ocupação dos leitos ou até mais, caso da Santa Casa de Jahu.

A partir de segunda-feira (25), as regiões de Barretos, Bauru, Franca, Marília, Presidente Prudente, Sorocaba e Taubaté estarão na fase vermelha do Plano São Paulo, com fechamento de comércios e serviços não essenciais. As demais, incluindo a Grande São Paulo, ficarão na etapa laranja, mas com restrições da vermelha em dias úteis, após as 20h, e integralmente aos finais de semana e feriados.

As medidas vão vigorar até o dia 7 de fevereiro. Até lá, nenhuma região poderá avançar às fases amarela e verde, as mais flexíveis em relação ao atendimento presencial. “Antes que milhões de brasileiros possam ser vacinados, todos nós precisamos lidar com a dura realidade que a pandemia nos impõe neste momento”, afirmou o Governador João Doria.

SEGUNDA ONDA - “Uma segunda onda de coronavírus atingiu o mundo e seus efeitos também atingiram o Brasil e o estado de São Paulo. O aumento no número de casos, internações e óbitos é extremamente preocupante”, acrescentou Doria. “É a ciência, a saúde e a medicina que determinam os caminhos que temos a seguir para proteger vidas.”

O Governo do Estado e o comitê de saúde voltaram a pedir a colaboração de toda a sociedade para reforçar o distanciamento social e evitar aglomerações ou reuniões sociais,  além de uso obrigatório de máscaras em locais de acesso público e higiene frequente das mãos. O novo mapa mostra 78% da população de São Paulo na fase laranja e 22% na etapa vermelha.

POUCA COISA ABRE  - A fase mais rígida só permite o funcionamento normal em setores essenciais como farmácias, mercados, padarias, lojas de conveniência, bancas de jornal, postos de combustíveis, lavanderias e hotelaria. Demais comércios e serviços não essenciais só podem atender em esquema de retirada na porta, 

Dados da pandemia

Com os dados epidemiológicos semanais divulgados nesta sexta (22), a média estadual passou de 287,9 para 348,6 novos casos a cada 100 mil habitantes. A taxa de novas internações subiu de 49,3 para 54,1 a cada 100 mil habitantes, e as mortes foram de 5,8 para 7,1 a cada 100 mil habitantes. A aceleração no contágio preocupa o Centro de Contingência, que reforçou o alerta aos 46 milhões de habitantes de São Paulo.

“O cenário para os próximos dias não é tranquilizador, muito pelo contrário, são sombrios. Nós temos risco em São Paulo, se não tomarmos as medidas necessárias, de em pouco tempo termos dificuldade de oferecer leitos de UTI para pessoas que necessitem de tratamento”, declarou João Gabbardo Coordenador Executivo do Centro de Contingência. 

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias