Menu
Segunda, 13 de julho de 2020

Profissionais da saúde de Jaú são maiores vítimas da covid. Culpa é da falta de exames para a população em geral

Sem testes para o cidadão com sintomas leves, números oficiais mostram que de cada três casos oficiais, dois são de pessoas da saúde, as que são testadas mais rapidamente

22 de Mai 2020 - 19h:48 Créditos: Paulo César Grange
Crédito: Paulo César Grange

Caiu uma “bomba de covid-19” em Jaú. E acertou praticamente em cheio a Santa Casa de Jaú e o Hospital Amaral Carvalho.  A Santa Casa é o hospital referência para o tratamento da doença na região. O HAC é referência em tratamento de câncer. A falta de testes para a população e geral  no país inteiro e o acesso mais fácil de quem trabalha na  saúde cria essa discrepância. Tem tanta gente com o vírus na cidade que quem procura acha.

Mais de 70 trabalhadores da saúde e cerca de 10 médicos que trabalham na Santa Casa testaram positivo para a doença desde o inicio da pandemia até quinta-feira. No Amaral são 58 positivos até esta sexta-feira, incluindo médicos, sendo que 16 profissionais também trabalham em outro hospital.

Os números da Santa Casa foram enviados ao Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Jaú e Região na quinta-feira. Os do Amaral foram repassados ao sindicato no início da noite pelo infectologista responsável.

Segundo o infectologista, o HAC já realizou 164 testes e tem mais 19 para conhecer o resultado. Dentro do universo de mais de 2 mil funcionários apenas 3% testaram positivo. Da Santa Casa são cerca 5,3% dos funcionários positivados.

Além dos casos internos na Santa Casa e do HAC, o Jaumais apurou que mais cinco funcionários do Hospital Thereza Perlatti ficaram com a doença (três deles também trabalham em outro local). 

Além disso, ao menos dez funcionários públicos que trabalham no Pronto-Atendimento Municipal (5), PAS São Benedito (2) e mais três médicos. A informação foi obtida com associação que atua na luta dos servidores públicos. O Jaumais pediu informações à Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Jahu, mas não obteve resposta.


Subnotificação - Em Jaú, a estimativa é que de cada três casos positivos, dois sejam de profissionais da saúde – funcionários de hospitais e de unidades básicas de saúde. Na noite desta sexta-feira, dia 22, a Prefeitura de Jahu informou 163 casos confirmados e 342 descartados. Isso mostra como está baixa a testagem de casos na cidade: a soma dos dois números dá 505 - e mais 33 à espera de resultados (total: 538 testes). Muito pouco para uma cidade como Jaú.

Por causa dessa subnotificação e falta de uma ampla testagem, o  médico Osvaldo Franceschi diz que o número de casos oficiais é muito maior do que o divulgado diariamente pela Prefeitura.

Em entrevista recente falou em mais de 2.000 pessoas infectadas, grande parte sem sintomas e sem serem testadas. Sem testes à disposição da população, os casos de funcionários da saúde se sobressaem porque eles têm sido os mais testados pelos hospitais.



Santa Casa explica medidas – O Jaumais entrou em contato com o provedor da Santa Casa de Jaú, Alcides Bernardi Júnior, para esclarecer os números. Ele mandou procurar o Sindicato da Saúde, que já teria os números desde o dia anterior.

Anteriormente, em entrevista ao próprio Jaumais, Bernardi disse que a contaminação pode ocorrer em qualquer local. O fato de trabalhar na Santa Casa não significa que o funcionário pegou covid lá dentro.

A Santa Casa informou ao sindicato que fez 222 testes na sua equipe de funcionários. Destes, 70 resultaram positivo e 15 aguardavam resultado. Não foram informados quantos precisaram de internação clínica ou em UTI.

O Jaumais teve acesso ao documento enviado ao Sindicato da Saúde. Nele, a Santa Casa diz que segue os protocolos do Ministério da Saúde, que promove treinamento dos funcionários e que tem fornecido os equipamentos de proteção necessários. (Lembrando que até o início de abril, o Ministério da Saúde recomendava o uso de máscara apenas a quem atuava no setor de covid-19 e UTI e não para todos os profissionais do hospital).

O documento informa ainda: “Ainda Sobre as providências tomadas para a proteção dos colaboradores em relação à testagem dos empregados e todas as ações ligadas ao manejo para a situação de enfrentamento da covid-19. Como já exposto, na vigência ou relato de sintomas gripais, o funcionário é de pronto afastado de suas atividades laborais, sendo testado através de swab nasal, aguardando o resultado do exame em isolamento social devidamente orientado.”


Sindicato quer testagem geral da categoria - A presidente do Sindicato da Saúde, Edna Alves, disse que ficou alarmada ao ver o relatório enviado pela Santa Casa de Jaú com o protocolo de atendimento e o número de casos. “Foi difícil acreditar. Mais de 70 profissionais, sem contar os 15 suspeitos que estavam esperando exames na quinta-feira. Nesta sexta pode ter até aumentado  os casos”.

Ela diz que conversou com a direção da Santa Casa e ganhou apoio para pleitear junto à Secretaria de Saúde de Jaú um mutirão de testes para verificar a situação de todos os funcionários do hospital. A sindicalista não conseguiu conversar nesta sexta com o setor de saúde da Prefeitura.

Segundo Edna Alves, “a contaminação dos funcionários pode ter ocorrido em vários locais, mas dá medo saber que dentro dos hospitais a gente tenha tantos profissionais infectados.” Segundo ela, a população que tem circulado pela cidade pode ter levado a doença para dentro do hospital, ajudando a disseminar entre os trabalhadores que cuidam do cidadão.


widget de imagem

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias