Menu
Sábado, 02 de março de 2024

Presos de unidades de Bauru engolem entorpecentes, celulares e pen-drives

CPPs I e II registraram ocorrências no retorno da saída temporária; cão farejador auxilia em operações

23 de Mar 2023 - 07h:52 Créditos: SAP
Crédito: SAP/Divulgação

Os centros de Progressão Penitenciária (CPPs) I (Dr. Alberto Brocchieri) e II (Dr. Eduardo de Oliveira Vianna) de Bauru registraram casos de detentos que tentaram entrar nas unidades prisionais com entorpecentes, minicelulares e até pen-drives no estômago. Os “barrigueiros”, como são popularmente conhecidos, foram barrados pelo escâner corporal na volta da saída temporária, segunda-feira (20).

No CPP II, um deles foi flagrado pouco antes da vistoria, no momento em que vomitava sete porções de maconha. Os demais, após serem descobertos, ficaram em observação na enfermaria do estabelecimento penal e conseguiram expelir os itens de forma natural.

No total, os policiais penais apreenderam 58 porções de cocaína, 27 de maconha, 15 minicelulares e seis pen-drives. O preso que ingeriu os dispositivos de armazenamento de dados expeliu, também, mais três mini telefones móveis.

 


CPP I

Já o CPP I contabilizou três ocorrências de reclusos com drogas ou produtos eletrônicos no estômago. Em um dos casos, o detento engoliu 30 porções de maconha.

Mais três sentenciados da mesma unidade foram barrados ao passarem pelo escâner corporal com minicelulares no ânus. No total, com o trio, foram apreendidos sete aparelhos.

A direção de cada estabelecimento penal instaurou apuração interna para averiguar os casos e os detentos devem retornar para o regime fechado. Também houve registro de boletim de ocorrência.


 

CÃO FAREJADOR

Ainda com o objetivo de coibir a entrada de objetos trazidos por sentenciados no retorno da saída temporária, os CPPs I e II de Bauru realizaram, na segunda (20) e terça-feira (21), operações com auxílio do cão farejador Dragon (pastor alemão), do canil da Penitenciária I “Dr. Walter Faria Pereira de Queiroz”, de Pirajuí.

Conduzido pelos cinotécnicos Carlos Eduardo Morgado e Marco Aurélio Henrique Alves, o cão ajudou a localizar 34 porções de maconha, 14 de cocaína e dois celulares com carregadores e chips encontrados em estrada de acesso às unidades prisionais.




widget de imagem

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias