Menu
Sábado, 17 de abril de 2021

Associação de servidores divulga nota de solidariedade à técnica de enfermagem do vídeo da vacina

Ao vacinar idosa de 70 anos sob as lentes de uma câmera. profissional da saúde teria esquecido de injetar o líquido no primeiro ato e corrige logo em seguida

28 de Mar 2021 - 18h:13 Créditos: Paulo César Grange
Crédito: Reprodução/Associação Luta

A Associação Luta, formada em Jaú para representar trabalhadores especialmente do serviço público, publicou em sua página no Facebook uma "nota de solidariedade" em apoio à técnica de enfermagem filmada em suposta irregularidade na vacinação. Viralizou vídeo mostrando profissional da saúde "furando" duas vezes uma idosa, porque teria esquecido de injetar a vacina na primeira picada.

O ato ocorreu na manhã de sábado, dia 28, no posto de vacinação localizado no Ginásio de Esportes Dr. Flávio de Mello. Familiar da idosa filmou a cena em que na primeira aplicação o líquido não é injetado, com o procedimento corrigido no instante seguinte após a própria servidora notar a falha  - "Ai, meu Deus, não foi". O caso virou Boletim de Ocorrência e será alvo de sindicância por parte da Secretaria de Saúde.

A professora Cristiane Banhol, integrante da Luta, manifestou-se sobre a defesa da colega servidora. "Todo apoio à Lúcia e aos profissionais da saúde!  Estar na linha de frente do combate a esta terrível pandemia, com toda a falta de estrutura que conhecemos, tem os levado à exaustão! Quando for se vacinar, ao invés de câmera para causar intimidaçao e até levar ao erro,  leve um carinho, uma gratidão! E sua ânsia por justiça, direcione para cobrar os governos, eles sim responsáveis pelo descaso e mortandade!"


LINCHAMENTO VIRTUAL

A campanha em defesa da técnica de enfermagem se estende a todos os profissionais da saúde: "Se posicione contra esta injustiça e ajude a barrar este linchamento virtual", diz postagem, sobre centenas de comentários em redes sociais condenando a falha. A pressão em cima dos profissionais da saúde, as mortes deles na luta contra o coronavírus e a correção rápida do erro são argumentos de defesa.

"Imaginem a exaustão de uma categoria que perde 3 dos seus por dia pra Covid19, num país que é responsável pela morte de 1/3 dos profissionais de saúde no mundo... São estes trabalhadores que, além dos salários achatados, têm virado noites e emendado plantões para suprir a falta de funcionários, expondo suas vidas e de seus familiares enquanto trabalham para proteger as nossas. Estão trabalhando no limite da exaustao física e emocional.  

Agora, imaginem além de tudo isso, você trabalhar sob o olhar de acusação daqueles a quem você está protegendo... Foi nesse contexto que na manhã de sábado a técnica de enfermagem Lúcia, já constrangida por uma filmagem intimidadora , fica nervosa e, na ânsia de aplicar rapidamente a vacina, deixa de injetar o líquido. "

A técnica teria autorizado a família a gravar a vacinação. Ela própria mostra seringa que deveria estar vazia para a câmara e ao perceber que o líquido não tinha sido empurrado pelo êmbolo, ela repete o procedimento. A Asssociação Luta diz que esse cenário mostra que não teve má fé e nem tentativa de fraude.


ENTENDA O CASO. VEJA REPORTAGEM DO JC DE BAURU REPUBLICADA NO JAUMAIS


NOTA DE SOLIDARIEDADE

A associação LUTA vem manifestar nossa solidariedade à técnica de enfermagem que manhã de sábado foi acusada de tentar  desviar vacina durante a aplicação.  

Exausta de seguidos plantões, fazendo hora-extra para suprir a necessidade de funcionários, a profissional estava sendo submetida a uma gravação intimidadora, acarretando uma situação de nervosismo, evidente no vídeo divulgado e, consequentemente na falha do procedimento. O vídeo demonstra que a profissional sabia que estava sendo filmada e é ela mesma que, ao mostrar a seringa para a câmera, percebe a falha e refaz o procedimento, demonstrando que não existiu nenhuma má fé.  

Repudiamos o jornalismo sensacionalista que só mostra uma versão do fato, alimentando a ira, se valendo do sentimento de tensão que paira sobre todos neste momento e incitando o linchamento pessoal ao invés da luta coletiva.

O Brasil é responsável por 1/3 das mortes dos profissionais de saúde no mundo, perdendo 3 destes pais e mães de família por dia! E nesta conta não entram os familiares contaminados e mortos por esta política de descaso, onde estes profissionais trabalham em número reduzido, sem valorização, sem acesso a uma testagem frequente e, muitas vezes, sem nem EPI adequado, o que infelizmente não causa a mesma indignação e repercussão que o linchamento de uma trabalhadora que está no seu limite físico e emocional.

Ah, se toda esta disposição fosse investida na luta por vacinação para todos já e medidas sérias de proteção à vida e ao sustento dos trabalhadores...

E a todos os profissionais que estão se expondo na linha de frente, nosso respeito!!

Convidamos o SINFUNPAEM e o SINDSAÚDE a se posicionarem em apoio à trabalhadora!  

É muito importante também a prefeitura cercar a servidora de apoio, demonstrando reconhecimento não apenas pelo trabalho dela, mas de todos os profissionais da saúde!


widget de imagem

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias