Menu
Domingo, 24 de janeiro de 2021

Abrigo São Lourenço informa a morte de Marlene, moradora de 115 anos de idade

Sepultamento ocorre às 10h30 deste sábado no cemitério municipal

29 de Mai 2020 - 22h:15 Créditos: Paulo César Grange
Crédito: Reprodução/Abrigo São Lourenço: momentos da Dona Marlene no Abrigo

Aos 115 nos de idade, Dona Marlene cumpre sua missão na terra e deixa para sempre o convívio dos amigos que fez durante mais de 22 anos onde morou. Nascida em 1 de janeiro de 1905, Rosalina Motta da Conceição faleceu nesta sexta-feira. O sepultamento da mulher mais idosa do abrigo e uma das mais longevas do mundo será às 10h30 no Cemitério Municipal de Jahu. O velório ocorre das 7h às 10h30 no Velório Municipal.

O comunicado da morte de Marlene, como ela gostava de ser chamada, foi feito pela página do Abrigo no fim da tarde. De imediato surgiram dezenas de comentários de pessoas que conheceram a idosa e conviveram com ela. Dias atrás foi encaminhada para a Santa Casa com baixa oxigenação. Fez raio x e exames de sangue e não apresentou nenhum problema. Morreu de morte natural. Quando ela nasceu o presidente do Brasil era Rodrigues Alves.

Celebração do aniversário em 1 de janeiro de 2020

A diretoria do Abrigo, por meio de Mara Hilst, conta que Marlene deu entrada na casa de repouso em março de 1998. Segundo a ficha da idosa, a filha a trouxe para o abrigo porque estava doente e não conseguia mais cuidar da mãe, na época já com 93 anos de idade. Após o encaminhamento para o abrigo, a filha faleceu.

Família era o Abrigo - Desde então a família de Marlene passou a ser os funcionários e demais moradores do Abrigo. No último dia 1º de janeiro, a equipe do Abrigo São Lourenço de Jaú deu os parabéns à aniversariante do dia. Até presente ele ganhou. “Ela era nosso chodozinho”, diz Mara.


Dona Marlene não  tinha pressão  alta e nem diabetes, doenças comuns em pessoas idosas. Atualmente tinha doença senil, com alguns momentos de lucidez. “Adorava pão  com leite,  maria-mole e macarronada. Até  um mês atrás andava com apoio dos cuidadores ou enfermeiros. Sempre ficava sentada em sua poltrona com um armarinho pequeno do lado, onde ela gostava que colocassem os alimentos”, relembra Mara Hilst.

Histórias - Outra história bacana envolvendo essa centenária ocorreu a alguns anos. “Tudo que ela falava que tinha vontade de comer era oferecido para ela. Num início de noite, após servir o jantar, ela solicitou pão  com mortadela. A funcionária mandou mensagem para o médico perguntando se poderia dar. Após autorização  foi mobilizado  esforços para comprar e oferecer o pão com mortadela.”


Marlene em sua cadeira ao lado do armário inseparável

Repercussão no Facebook do Abrigo

Juliana Leme Ezequiel Jr:  “Em nome da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa do OAB de Jaú deixo nossas condolências a todos amigos e cuidadores. Tivemos o prazer de conhecê-lá em nossas visitas.”

Ana Claudia Patrício: "Lindinha, agora está nos braços do nosso criador em seu repouso merecido. Descanse em paz e olhe por nós daí do céu."

Thaty Vyana: "Que linda. Tive o prazer de conhecê-la na época em que trabalhei no Abrigo. Descanse em paz."

Elenita Oliveira: "Meus sentimentos a todos amigos, moradores e funcionários do Abrigo que cuidaram dela por tantos anos, com muito amor e carinho. Deus conforte o coração de todos vocês."

Valéria Alves: "Marlene foi exemplo de vida e sabedoria. Uma graça de pessoa na qual eu tive o prazer de conversar e conviver nesses últimos três anos"

Rosangela Padroni: "Que triste, minha afilhada no Natal. Que Deus e Nossa Senhora a receba em seus braços, descanse em paz dona Marlene. Que Deus conforte e console os corações de todos vocês e muito obrigada por todo carinho dedicado a ela por todos esses anos"


Marlene em destaque na reportagem da Revista Etapa

widget de imagem

widget de imagem

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias